Ética na política de comunicação é destaque em evento

Numa iniciativa inédita, reunindo a Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (ACAERT), a Associação dos Diários do Interior de Santa Catarina (ADI/SC) e Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina (ADJORI/SC, promoveram o 1º Encontro Catarinense de Veículos de Comunicação, no Centrosul, em Florianópolis, no sábado, dia 25 de março.

Na primeira parte do encontro, as três entidades reuniram-se em separado, cada uma tratando de assuntos pertinentes a sua área de atuação. No encontro dos radiodifusores a questão principal foi o funcionamento das rádios ilegais, as chamadas rádios piratas e a não observância da legislação pelas rádios comunitárias devidamente autorizadas. Estas emissoras, não todas obviamente, estão comercializando de forma indevida comerciais (propagandas) e causando prejuízos ao segmento da radiodifusão. Muitas também de forma irregular estão trabalhando com potência acima da permitida, cobrindo uma área maior do que a prevista em Lei. Uma outra questão é que as rádios comunitárias deveriam estar a serviço da comunidade, ou seja, do bairro para onde tem autorização e pertencerem a uma entidade sem fins lucrativos. Na opinião dos radiodifusores, muitas pessoas fundaram entidades fictícias e estão faturando alto, usando o nome de rádios comunitárias.

No encontro da Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina, em sua grande maioria semanários, o assunto principal girou em torno da cobrança por parte do Sindicato do Jornalistas para que todos os veículos tenham jornalistas profissionais em seus quadros. Os proprietários de jornais em sua grande maioria consideram justa a necessidade de um profissional na área de jornalismo, entretanto, contestam a necessidade de que todos os colunistas tenham que ser jornalistas profissionais.

Posteriormente as três entidades se reuniram de forma conjunta para acompanhar uma palestra com o deputado federal Osmar Serraglio (PMDB/PR) que foi relator da CPI dos Correios e que falou sobre o tema “Ética na política de comunicação governamental”. O parlamentar ressaltou a importância dos veículos de comunicação na preservação dos



Numa iniciativa inédita, reunindo a Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (ACAERT), a Associação dos Diários do Interior de Santa Catarina (ADI/SC) e Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina (ADJORI/SC, promoveram o 1º Encontro Catarinense de Veículos de Comunicação, no Centrosul, em Florianópolis, no sábado, dia 25 de março.

Na primeira parte do encontro, as três entidades reuniram-se em separado, cada uma tratando de assuntos pertinentes a sua área de atuação. No encontro dos radiodifusores a questão principal foi o funcionamento das rádios ilegais, as chamadas rádios piratas e a não observância da legislação pelas rádios comunitárias devidamente autorizadas. Estas emissoras, não todas obviamente, estão comercializando de forma indevida comerciais (propagandas) e causando prejuízos ao segmento da radiodifusão. Muitas também de forma irregular estão trabalhando com potência acima da permitida, cobrindo uma área maior do que a prevista em Lei. Uma outra questão é que as rádios comunitárias deveriam estar a serviço da comunidade, ou seja, do bairro para onde tem autorização e pertencerem a uma entidade sem fins lucrativos. Na opinião dos radiodifusores, muitas pessoas fundaram entidades fictícias e estão faturando alto, usando o nome de rádios comunitárias.

No encontro da Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina, em sua grande maioria semanários, o assunto principal girou em torno da cobrança por parte do Sindicato do Jornalistas para que todos os veículos tenham jornalistas profissionais em seus quadros. Os proprietários de jornais em sua grande maioria consideram justa a necessidade de um profissional na área de jornalismo, entretanto, contestam a necessidade de que todos os colunistas tenham que ser jornalistas profissionais.

Posteriormente as três entidades se reuniram de forma conjunta para acompanhar uma palestra com o deputado federal Osmar Serraglio (PMDB/PR) que foi relator da CPI dos Correios e que falou sobre o tema “Ética na política de comunicação governamental”. O parlamentar ressaltou a importância dos veículos de comunicação na preservação dos princípios democráticos do País. Elogiou ainda a postura da Mídia que mostrou ao cidadão os casos de corrupção no Brasil. Participaram da palestra os presidentes da Associação de Emissoras de Radio do Paraná e da Associação Gaúcha de Rádio e Televisão, os presidentes da ACAERT, ADI e ADJORI, além do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Moacir Bertoli, que representou o presidente Gilson dos Santos.

A noite aconteceu uma palestra com Carlos Hilsdorf, consideradoo mais carismático palestrante do País, seguindo-se um jantar de confraternização e uma homenagem das três entidades ao governador Luiz Henrique da Silveira, como reconhecimento a polticia de comunicação do Governo do Estado, implantada pelo secretário Derly Anunciação. Segundo as entidades, a atual política democratizou o investimento estatal, fortaleceu os veículos de comunicação e suas entidades e, por isso, serve de modelo para os outros estados brasileiros e, até mesmo, para o Governo Federal.





Informação: Abert/ A Semana (Capinzal) - Capinzal,SC,Brazil