Agert chega aos 55 anos, com o desafio de completar a migração do AM para o FM

Fundada em 13 de dezembro de 1962, por 62 empresários gaúchos de radiodifusão, a Agert chega nesta quarta-feira (13/12) aos 55 anos. Com atualmente 350 associados, a entidade visa representar e defender os interesses das emissoras de rádio e televisão do nosso estado.

Para o presidente da Agert, Roberto Cervo Melão, a data de hoje tem um significado de muito trabalho, de pessoas abnegadas ao associativismo, ao rádio gaúcho que se reuniram para fundar a associação. "De lá para cá que sirva para a gente buscar exemplos destes que dirigiram, das diretorias que participaram, dos associados e desses exemplos fazer uma nova realidade, disse o presidente".

Melão destacou que as emissoras precisam trabalhar de mãos dadas cada vez mais em prol das nossas comunidades, trabalhar em prol da Agert para que ela seja forte e respeitada. "Conclamo a todos os radiodifusores e suas equipes para que se empenhem para possamos fazer um Estado e as cidades onde atuamos cada vez melhores", observou.

Ele afirmou que o maior desafio da Agert para os próximos anos é concluir o processo de migração do AM para o FM, que a partir de hoje está acontecendo o segundo lote, a faixa estendida que estão chegando. "É muita responsabilidade porque sabemos das dificuldades que vão existir porque muitos problemas estarão acontecendo. Precisamos da nossa força, garra e trabalho para que a autoridade entenda o que o setor precisa", garantiu.

O presidente agradeceu a todos os associados de uma forma muito carinhosa, os convidando para participar dos eventos da entidade. "Em 2018, vamos realizar cinco Seminários Eleitorais e um Seminário de Comercialização, contamos com a presença de todos", finalizou.