REPERCUSSÃO DO DESASTRE

O acidente com o vôo JJ 3054 da TAM, na noite da última terça-feira (17), em São Paulo, não está apenas entre as manchetes da mídia nacional, mas ganhou o destaque dos principais veículos de comunicação ao redor de todo o mundo.

A rede de televisão norte-americana CNN, por exemplo, destaca a tragédia como sendo “a pior na história da aviação brasileira”. A britânica BBC também deu grande destaque ao acidente em São Paulo e traz uma declaração atribuída ao governador do estado, José Serra, de que há poucas chances de serem encontrados sobreviventes.

O tradicional jornal norte-americano The New York Times acionou o seu correspondente no Brasil, Larry Rother. Segundo a publicação, as companhias aéreas tinham reclamado da recente reforma na pista de Congonhas.

Na vizinha Argentina, o diário Clarín estampou o acidente na manchete de sua versão eletrônica. O espanhol El País afirma que o número de mortos do desastre pode chegar a 200 e que uma falha na manobra de pouso fez com que o avião se chocasse com um depósito.

Fonte: Portal Imprensa

TV PAGA GANHA MAIS PROBLEMAS COM CRESCIMENTO ANUNCIADO

São constantes as reclamações de usuários do serviço pago quanto ao excesso de comerciais e reprises na programação. Ainda há outras insatisfações como o mau atendimento prestado ao consumidor via telefone e a mais recente decisão do canal Fox, por exemplo, de dublar toda a sua programação e aportuguesar os títulos de seriados. A digitalização e os problemas gerados a partir da venda de serviços de telefonia e banda larga são outros problemas a serem enfrentados.

Dados divulgados no começo de 2007 pela PTS (empresa que monitora o setor) mostram que o número de telespectadores da TV paga inflou 4,7%. Em contrapartida, o índice de reclamações no Procon de São Paulo aumentou 22% em comparação ao ano anterior. Nos três primeiros meses deste ano, o órgão notificou 62 reclamações sobre TV paga, oito a mais do que o registrado durante todo o ano de 2004.

Fonte: Redação Adnews

RÁDIO É DESTAQUE EM GRAMADO

O Rádio esteve na pauta de, ontem, no 16º Festival Mundial de Publicidade de Gramado com premiações voltadas para o segmento. A Associação Argentina de Agências de Publicidade (AAAP) criou o Troféu Rádio da Integração Simon Bolívar. As emissoras Bandeirantes, Guaíba, Gaúcha, Globo e Itatiaia forma contempladas com a premiação inédita. A entrega do troféu foi realizada pelo presidente do Conselho de Representantes Latino-Americana de Agências de Publicidade (ALAP), Pablo Brama.
O destaque foi concedido às rádios brasileiras mais conhecidas pelos argentinos através das transmissões de jogos de futebol em Buenos Aires. Após a cerimônia foram entregues os Galos de Ouro na categoria Rádio do festival. As agências campeãs foram: Quê Comunicação (RJ), Novacentro (RS), Ilimitada (GO) e Acesso Comunicação (CE).

FENAJ condena agressões a jornalistas e clima de histeria

Na semana passada três casos envolvendo a liberdade de impresa ganharam destaque na mídia nacional. O primeiro foi a hostilização de militantes do PT a vários jornalistas na entrada do Palácio da Alvorada, na segunda-feira (30/10). No mesmo dia, à tarde, em entrevista coletiva, o governador reeleito Roberto Requião (PMDB/PR) ofendeu de modo genérico jornalistas e empresas de comunicação. E no dia seguinte, o depoimento de três repórteres da revista Veja nas dependências da Polícia Federal em São Paulo. Tais fatos atingiram indiretamente a FENAJ, que emitirá nota pública de esclarecimento.

Para o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade, o caso das agressões em Brasília é condenável. ?A FENAJ defende que as pessoas possam manifestar sua contrariedade à cobertura da imprensa, mas jamais irá concordar com ameaças e violências contra jornalistas ou a própria imprensa, como instituição?. Segundo ele, é totalmente mentirosa a nota publicada na coluna ?Painel? da Folha de São Paulo, publicada no dia 31 de outubro, insinuando uma concordância com a intolerância dos militantes do PT. ?A Folha só me ouviu depois da publicação da nota. O texto publicado traz declarações que não fiz. Foi escrito por telepatia?, reclama Murillo.

Já em relação ao caso do Paraná, a FENAJ se solidarizou com o Sindicato dos Jornalistas do Paraná, que emitiu nota oficial condenando a atitude desrespeitosa do governador Requião em relação aos jornalistas. ?O governador tem o direito de reclamar do que considera uma partidarização da cobertura do processo eleitoral, mas não pode ofender de modo genérico profissionais e veículos?, comenta Murillo. A FENAJ solicitou que o governador abra uma agenda de diálogo com os Sindicatos dos Jornalistas do Paraná e de Londrina, visando superar os conflitos de integrantes do governo, e especial o próprio governador, com os profissionais de imprensa.

Quanto aos jornalistas da Veja que foram chamados a depor na Polícia Federal de São Paulo, ao tomar conhecimento do fato a FENAJ entrou imediatamente em contato com a Superintendência da PF em Brasília, que assegurou a legalidade da convocação e um tratamento não intimidatório aos profissionais. Outra providência foi solicitar que o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo entrasse em contato com os envolvidos. Porém a direção da Veja declarou ao Sindicato que só iria se manifestar através de nota oficial durante a noite.

A nota divulgada pela Veja afirma que houve constrangimentos aos jornalistas. Mas a procuradora da República, Elizabeth Kobayashi, que testemunhou os depoimentos, afirmou que, no seu entendimento, não houve intimidação pessoal. Agora faz-se necessário que os jornalistas envolvidos se manifestem.

Para o secretário geral da FENAJ, Celso Schröder, ?não é justo atribuir uma malignidade intrínseca à imprensa, da mesma forma que não existe um salvo-conduto para erros e desvios de conduta?. Schröder informa que o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, do qual a FENAJ é integrante, está preparando um estudo que avalia a cobertura das eleições, ouvindo especialistas e jornalistas que trabalharam neste processo.

Antes disso, a Executiva da FENAJ divulgará uma nota relacionando estes acontecimentos e a cobertura do processo eleitoral. ?É preciso tranqüilidade e serenidade para análise e posição responsáveis. A FENAJ já foi vítima deste falso clima de histeria, que de modo algum contribui para o aperfeiçoamento das instituições democráticas no Brasil?, conclui o presidente da FENAJ. Para ele, a melhor defesa da liberdade de imprensa é a instituição de um rigoroso sistema de responsabilidade que, infelizmente, a mídia se recusa a discutir publicamente.




Informação: ABERT / FENAJ - Notícias - Imprensa

Presidente da AGERT recebe o Troféu Destaque Empresarial 2006

O presidente da AGERT, Roberto Cervo “Melão”, foi premiado ontem (13), à noite, com o Troféu Empresário 2006, concedido pela Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Faxinal do Soturno.

O evento tem como objetivo homenagear os comerciantes da cidade. Roberto Cervo é proprietário da Rádio São Roque AM e do Jornal Cidades do Vale, além de assumir a presidência do Hospital de Caridade São Roque. Seu nome foi o mais votado pelos comerciantes locais, recebendo assim o Troféu Destaque Empresarial 2006.






Informação: AGERT